quarta-feira, 4 de julho de 2007

JÁ NÃO MAIS CANTAREI


Já não mais cantarei à desgraça

Já não mais cantarei à pobreza

Já não mais cantarei à desilusão

Já não mais cantarei à saudade

Já não mais cantarei à dor

Já não mais cantarei…

…cantar é retratar…

…retratar é observar…

…e sempre que observo Homens observo sofrimento

Sofrimento abafado por risadas…

…e porque enquanto uns riem muitos mais choram…

Decidi que em voz alta…

Já não mais cantarei!

INVASÕES


Os generais desembarcam dos seus botes. Bem servidos de armas brancas, homens brancos invadem outros povos. Ásia, África, Américas. Não há terra que não tenha sido pisada pelas botas destes capitães.

A submissão é a atitude mais coerente. Armas de fogo fazem a sua justiça. Rios de sangue misturam-se com rios de lágrimas que se fundem num mar de desespero.

Escravidão. O homem de pele branca impõem-se aos homens cujo tom de pele não atinge o branco de pureza e santidade; o branco limpo e imaculado (como se algum homem fosse perfeito).


Os generais. Os capitães. Os “soldados de Deus” violam tudo e todos por onde passam a pretexto de instruir as tribos, os povos, as civilizações que vivem sob a mira do diabo. Espalham a democracia e o cristianismo e, entretanto, deixam as suas marcas nos rostos de crianças que espelham o desgosto e a tortura de seus pais.

Homens mandam e desmandam numa terra onde não nasceram. Afrontam e castigam os donos da terra até que o inevitável acontece – os verdadeiros senhores da terra revoltam-se contra seus “donos” e o resultado é revolta.

PORQUÊ


Porquê magoas o meu coração

E deixas-me sem vontade de viver?

Porquê não valorizas a minha paixão

Para que eu possa viver sem sofrer?

Porquê abriste mão da minha companhia

E arranjaste outro homem?

Porquê que a cada dia que se avizinha

Mais sentimentos revoltosos me consomem?

Porquê cada ser não nasce já

Pré-destinado a amar “aquela” mulher?

Dessa forma, a minha alma estaria como está

E, ao sabor da paixao, contigo poderia viver.

Onde estarão as respostas para as questões

Que destroem meu peito. Será que Camões

As teve? Se teve, eu também quero.

Se não as teve, entao porei fim ao meu desespero.

VELHICE


Bendita ou maldita?

Não sei…talvez ambas as coisas.

Por um lado, vão-se as forças

Por outro, vem a sabedoria.

Ninguém quer morrer,

Mas, enquanto jovens,

Muitos são os que desconsideram a velhice

Porquê?

O bom da vida está naqueles que nos guiam,

Aqueles que deixam as suas pegadas para que nós,

Jovens,

Possamos decifrar o bom e o mau caminho.

Porque razão não damos valor à velhice se,

No fundo,

Todos desejamos envelhecer?

– Antes isso que morrer.

CONFLITOS


Uma turma,

Dois grupos.

Um conflito,

Dias duros.

Um desacato,

Grandes inimizades.

Um boato,

Resultados impressionantes.

JÁ NÃO SUPORTO


Já não suporto o amor

Porque só me causa dor

Já não suporto te olhar

Sem por teu nome chamar

Já não suporto imaginar teu nome

Escrito no caderno de outro homem

Já não suporto estar perto de ti

E saber que com outro és feliz

Já não suporto estar apaixonado

Mulheres?! Serão escolhidas ao acaso

Já não me interessam personalidades

Nem tão pouco mulheres com grandes qualidades

Porque tu és uma mulher completa

Mas não escolheste para ti a pessoa certa.

ONDE ESTÁS?


Pergunto constantemente às estrelas

Se sabem onde estão os teus pensamentos

– Mas as respostas são sempre as mesmas

E aumentam os meus tormentos.

Pergunto à lua, que vê tudo no mundo

Se espiou-te algures em busca de carinho.

Diz-me, lua! Pois o meu amor é profundo

E jamais poderá perdurar sozinho.

E as ondas do mar? Que vêm e vão,

Decerto já molharam os teus cabelos.

Porém, elas nunca me escutarão

Nem acalmarão os meus desejos.

Resta-me perguntar às pedras da calçada

Se seguiram os passos da minha princesa

E se sabem conduzir-me ao encontro da minha amada

Que, com certeza, sente a falta da minha presença.

PORQUE EXISTES


Gosto de viver com o teu nome no coração

Procuro te ter para além da imaginação

Tu és real. Tu és vida

És a luz no horizonte que me guia

És rainha e eu quero ser rei

És divina. Sempre te desejarei.

Eu não quero viver, não!

Viver sem ti não faz parte da minha razão

Se não estás comigo eu não vivo

Não te ter é o mesmo que viver sem abrigo,

É não ter onde encostar a cabeça,

É não ter um lar que nos aqueça.

Viver sem te ver

É semelhante a não viver

Gosto de viver porque tu vives

O amor só faz sentido porque existes.

POESIA


A poesia

É a janela

Que encontrei

Para dar o berro

Para o exterior.


É a janela

Que me permite arrancar

O que tenho cá dentro...


A minha poesia

Transmite

Amor, Paz, Alegria...

Mas também

Transmite

Dor, Guerra, Tristeza.


No fundo,

A minha poesia

É o relato de um ser.